Calendários “sem” primaveras

A primavera chegou ao hemisfério norte! Os calendários apontaram o dia 20 de março como o início da estação das flores por toda Europa.
Em minhas poucas andanças pela Alemanha, já que, normalmente, abandono a comunidade somente uma vez na semana em direção à Schlitz, município ao qual pertencemos e, aos nossos olhos uma metrópole. Afinal somos apenas trezentos habitantes por aqui, já na “grande” cidade vivem, aproximadamente, três mil. A maioria é turca. Há também muitos russos e alguns alemães. Semana passada quando me obriguei a entregar umas cartas nos correios, fui tomado por uma grande alegria ao ver as pessoas arrumando os seus jardins e curtindo o início da nova estação.
Durante a noite, no jantar, não pude deixar de compartilhar com a casa Jawlensky o meu regozijo.
Contei, sorri e tomei um pedaço de pão com queijo na cara. A senhora Boa teve um ataque de fúria pelo fato do calendário indicar primavera, embora as temperaturas, durante a noite, estarem abaixo de zero e ela se obrigar a vestir o casaco de inverno em plena primavera, mas na primavera, segundo ela, vestimos camiseta, sendo assim não podia estar escrito primavera nos calendários, pois está frio.
Imaginem vocês a dramaticidade da situação. Duas horas conversando, acalmando e convencendo a cidadã de mais de sessenta primaveras, de que este é um momento de transição e que em algumas semanas, provavelmente, estaremos libertos e vestiremos camisetas, bermudas e saias.
Ainda com lágrimas nos olhos a Senhora Boa voltou aos seus afazeres na cozinha, mas, antes que eu saísse, jurou que iria riscar, de todos os calendários da casa, a palavra primavera.

Nosso calendário e a primavera descartada...

Um dia depois… O calendário da nossa sala … sem a primavera.

A Senhora Boa em sua tarefa doméstica...

A Senhora Boa em sua tarefa doméstica…